Sobre as Termas das Caldas da Felgueira

Bem no centro do Planalto Beirão, com a Serra da Estrela a nascente e a Serra do Caramulo a poente, na margem direita do Mondego, as Caldas da Felgueira têm sido uma das grandes referências nacionais do termalismo nas últimas décadas, graças à aposta constante na formação e na qualidade, tendo contribuído muito para uma nova imagem do termalismo português.

A utilização da água mineral das Caldas da Felgueira, remonta ao sec. XIX, sendo indicada para o tratamento de doenças do foro Respiratório, como asma, bronquite, rinite e sinusite, do foro Músculo-Esquelético, como a osteoartrose e a reabilitação articular e muscular, e Dermatológico, como as dermatites e eczemas.

Após 137 anos ao serviço da Saúde o que nos move, é a incessante vontade de melhoria da qualidade dos nossos serviços e a diferenciação pela especialização: na área de Otorrino, as técnicas termais de Aplicação médica, como a Drenagem de Proetz, o Duche Faríngeo Filiforme e a Insuflação tubo-timpânica e na área de Reabilitação respiratória e motora as técnicas diferenciadas de fisioterapia e hidroterapia.

Ao chegar às Caldas da Felgueira será recebido por uma equipa multidisciplinar, constituída por médicos, técnicos superiores de diversas áreas da saúde (Fisioterapeuta, Motricidade Humana, Nutricionista, Professores de Educação Física) e Técnicos de Termalismo, que desenvolvem uma intervenção focada em cada um dos nossos clientes, com respostas adequadas às suas necessidades específicas.

Visite-nos e descubra tudo o que podemos fazer pela sua saúde!

Contatos

 

Sobre a água (água mineral natural das Termas da Felgueira)

Um recurso único e precioso, analisado constantemente por uma equipa de profissionais para garantir a qualidade de todos os tratamentos.
A água mineral natural é uma água geologicamente especial, uma vez que as condições em que se forma são únicas e irrepetíveis. A água mineral das Caldas da Felgueira permanece no interior da crosta terrestre cerca de 13000 anos.

A nossa água emerge a uma temperatura de cerca de 35ºC, classificando-se assim como uma água mesotermal, por ser próxima da temperatura corporal humana, sendo, de facto a água mineral natural portuguesa com temperatura de emergência mais próxima da nossa.

Todas estas condições levaram à existência de uma “água sulfúrea, bicarbonatada sódica, carbonatada, fluoretada, sulfidratada, contendo parte da sílica na forma ionizada”, composição esta que lhe confere propriedades terapêuticas comprovadas no tratamento de patologias respiratórias, reumáticas e da pele.

A imersão do corpo neste recurso único e precioso, permitea absorção de todos os elementos químicos da água. A pele comporta-se como uma esponja ao reter a água, permitindo a absorção, o depósito e a distribuiçãodos seus constituintes pelo organismo.

Assim, as propriedades anti-inflamatórias associadas ao enxofre, chegam a todas as células melhorando o funcional global de todos os sistemas.

 

Tratamento Termal

– Vias Respiratórias

Depois do cálcio e do fósforo, o enxofre é o terceiro mineral mais abundante no corpo humano. Está presente em todas as células e é essencial à vida. Sendo o enxofre o principal constituinte da água mineral das Termas da Felgueira, o contacto com as vias aéreas promove a fluidificação e limpeza das secreções mucosas, estimulando a circulação local, melhorando a capacidade local de defesa através da sua função anti-alérgica e anti-inflamatória.

– Reumatologia e Reabilitação

Nas perturbações ósseas, articulares e musculares a água mineral natural é utilizada de diferentes formas com o propósito de dar uma resposta eficiente às diversas patologias. A aplicação combinada de técnicas de imersão, duches e vapores promovem o aumento do relaxamento muscular, uma maior mobilidade articular, a melhoria da sensibilidade cutânea, diminuição da inflamação.

– Tratamento de Pele

Os mecanismos implicados na melhoria das patologias da pele são: a hidratação profunda, a melhoria circulatória pelo calor, a desinfeção pelo ião sulfúrico, a capacidade decapante dos duches filiformes, a estimulação cutânea, os componentes antiflamatórios, a tonificação dos tecidos, a melhoria do retorno venoso, a penetração dos oligoelementos, como o ião fluor.

 

Tratamentos | Programas de Bem-Estar (SPA)

O termo SPA deriva do nome da cidade Belga – SPA, conhecida nos tempos romanos como Aquae Spadanae. As suas inúmeras nascentes de água mineral natural foram desde sempre usadas com fins de cura e revitalização do corpo e da mente, ficando o seu nome associado a toda e qualquer nascente de água mineral natural com propriedades terapêuticas. É sob este termo que assentam todos os caminhos e princípios das Termas da Felgueira – repouso e cuidado, aliados aos mais tradicionais métodos e tecnologias inovadoras, tornando as Águas da Felgueira acessíveis a todos os que querem comprovar os seus benefícios.

O dia-a-dia é cada vez mais exigente! As exigências em casa, no trabalho, com os amigos, com uma sociedade que evolui num ritmo tão intenso que nos leva ao limite e a situações de stress elevados, difíceis de controlar, criando elevados níveis de ansiedade. Surgem assim preocupações constantes com a nossa saúde e o nosso bem-estar, colocando-nos numa demanda constante pelas melhores técnicas e métodos para contrariar esta tendência. O nosso SPA Termal constitui uma fonte natural de alívio para o stress do dia-a-dia, para que encontre o equilíbrio que precisa, recarregando energias.

 

História das Termas

Desde cedo que as águas das Caldas da Felgueira obtiveram o seu devido reconhecimento.

A primeira referência às águas termais da Felgueira encontra-se nas “Memórias Paroquiais” encomendadas em 1758 pelo Marquês de Pombal: “…a existência de uma nascente sulfúrica quente no limite do Lugar de Vale de Madeiros…”.

No início do Séc. XIX são referidas pelos Padres José Lourenço e José Inácio de Oliveira, de Canas de Senhorim, como um sítio onde passavam os rebanhos em transumância, desde a Serra da Estrela e que ali saravam as feridas das patas dos animais.

Em 1818, já se contavam 50 habitantes e 13 casas de habitação permanente: e foi até esta data que a calmaria se verificou. Posteriormente, começaram a chegar os primeiros crentes nos benefícios destas águas, provenientes de Tondela e de Gouveia: vieram em busca das respostas para os seus problemas, acreditando que seria nestas águas que as iriam encontrar.

Em 1867, a Exposição Universal de Paris reconheceu e premiou as águas da Felgueira, justificando a crescente procura pelas mesmas – facto que, com a abertura dos caminhos de ferro da Beira Alta, permitiu uma adequação da oferta termal, até então insuficiente. Foi pela mão de José Maria Marques Caldeira que nasceu a primeira concessão para exploração destas águas. O alvará foi concedido pela CM de Nelas em 24 de Dezembro de 1880 e a 7 de Agosto de 1882 nasceu a Companhia das Águas medicinais da Felgueira, SARL.

Em 1886 foi criada a Companhia do Grande Hotel  Club das Caldas da Felgueira e iniciou-se a construção do balneário que nasceu pelo traço e acompanhamento de obras do arquitecto Rodrigo Maria Bercquo, Marquês de Cantagallo. Foi inaugurado em 5 de Junho de 1887 tendo sido o seu primeiro Director Clínico o Dr. João Felício, médico natural de Canas de Senhorim. Em 1995 iniciou-se a construção do novo centro termal que entrou em funcionamento em 1997, 115 anos após a constituição da Companhia das Águas Medicinais da Felgueira.

Desde 1997 que o novo Centro Termal é uma garantia de sofisticação técnica e qualidade profissional: e foi com vista à continuidade desta garantia que no início de 2007 a Companhia das Águas Medicinais da Felgueira foi adquirida pela Patris Capital, sociedade de capital de risco, que ajustou a sua oferta, conceito, imagem e comunicação às necessidades dos tempos modernos.

 

Informações e Recomendações

Guia do Aquista

Antes de vir

Embora não seja obrigatório, é conveniente dar conhecimento ao seu médico de família ou ao seu médico especialista. A avaliação médica é fundamental para o sucesso do tratamento e quanto mais informação for disponibilizada ao nosso médico hidrologista, mais adequado será a sua prescrição e os respectivos resultados. Traga os exames mais recentes e aqueles que são relevantes para o seu historial clínico.

Se pretende usufruir da Comparticipação do Serviço Nacional de Saúde a duração mínima do tratamento é de 12 dias. Será o seu Médico de Família que lhe passará uma prescrição de Tratamento Termal com identificação da respectiva patologia. Se o reembolso for proveniente de um dos sub-sistemas de Saúde (ADSE, ADM, SAMS, SSCGD, CTT, EDP ou outros) terá de ter uma declaração médica comprovativa dessa necessidade que deverá anexar à factura emitida nas Termas. Se pretender colocar como Despesa de Saúde no seu IRS, deverá ter declaração médica para esse fim.

Deverá trazer sempre consigo equipamento para utilização da piscina (fato de banho, chinelos e toucas) e ginásio (equipamento de treino e calçado só para utilização no ginásio).

Para o recebermos com a qualidade e excelência a que habituámos os nossos clientes é muito importante que marque a sua consulta. Se o fizer estará a ajudar-nos a adequar aa escala médica minimizar o tempo de espera e assegurando que a sua consulta será realizada na hora prevista.

Duração

A cura termal tem uma duração média de 2 semanas. No entanto a realização de estadias mais curtas (7 dias) são cada vez mais recorrentes. Embora não seja o ideal, pois poderá não usufruir de todos os benefícios inerentes ao cumprimento do tratamento adequado, as melhorias sentidas com a realização de períodos mais curtos são relatadas como significativas.

Quais são as Contra-indicações do Tratamento Termal

Existem diferentes motivos para não podermos realizar tratamentos termal. Podemos identificar dois grupos de contra-indicações: as absolutas (impedem a realização do tratamento) e as relativas (impedem temporariamente a realização do mesmo).

Assim, consideramos contraindicações absolutas: doenças malignas em evolução (das vias aéreas principalmente), Broncopatias crónicas com: compressão tumoral, corpo estranho brônquico, mucoviscidose; Insuficiência respiratória grave, Doença renal grave ou hepática em evolução, Doença cardíaca grave, Hipertensão arterial e doenças cardio-vasculares descompensadas, outras.

As contra-indicações relativas são: Asma com agravamento recente e não controlada, Asma com dispneia contínua, Infeções em curso, Situações agudas do foro ORL ou Pneumológico ou outras que tenham provocado grave debilidade (iniciar 2-3 meses após o surto), Pós tratamento de neoplasias  (aceita-se que o doente traga informação do médico oncologista assistente) – habitualmente após 5 anos de pós tratamento é considerado seguro, Tratamentos biológicos (o doente deverá trazer informação concreta e autorização do seu médico assistente para realizar tratamento termal)

Consulta

A consulta médica é o primeiro passo para a realização do tratamento termal. Nas Termas da Felgueira uma equipa de médicos hidrologistas asseguram a avaliação clínica em toda a sua estadia. A prescrição do tratamento e a sua adequação em consultas intermédias, poderá ser feito em qualquer altura, sem qualquer custo acrescido. No final do tratamento, a consulta final é um passo importante para a avaliação das melhorias e especialmente para o aconselhamento (cuidados a ter após o tratamento).

NOTA:

O VALOR PAGO PELOS HONORÁRIOS CLÍNICOS ENGLOBA TODAS AS CONSULTAS NECESSÁRIAS AO LONGO DO TRATAMENTO TERMAL, SENDO VÁLIDA POR 3 MESES.

De forma a potenciar todos os benefícios do Tratamento termal é necessário ter alguns cuidados durante e após o tratamento.

Durante o tratamento termal, nas patologias do foro respiratório para a qual tenha sido prescrito a nebulização colectiva, deverá completar o repouso aconselhado (mínimo 40 minutos), sobretudo em dias mais frios.

Recomendamos que faça um período de arrefecimento adequado à normalização da sua temperatura corporal, na sala de descanso, devidamente enxuto e com o roupão seco, e depois use agasalho suficiente à saída.

Deverá cumprir estas orientações ao longo de todo o tratamento e nas semanas seguintes (3 a 4 semanas)Os tratamentos «quentes» dirigidos a problemas reumatismais aconselham idêntico resguardo durante o período de tratamento e nas 2 ou 3 semanas seguintes, especialmente no que respeita a banhos frios.

Documentos importantes a não esquecer:

De Identificação:

Bilhete de Identidade | Passaporte (se não for cidadão de um País que integre a União Europeia) | Número de Identificação Fiscal (NIF) | Cartão de Utente do Serviço Nacional de Saúde | Cartão de outro Sistema de Saúde do qual seja beneficiário

De informação clínica:

Lista de medicamentos em curso | Relatório do Médico assistente ou médico especialista sobre razões de aconselhamento termal | Meios complementares de diagnóstico recentes (análises, RX, TAC e/ou outros)

Horários do Centro Termal:

Para Tratamento Termal:

8h – 13h de 22 de Fevereiro a 31 Agosto e de 1 Novembro a 1 de Dezembro
8h – 13h e 15h-18h nos meses de Setembro e Outubro

Para Serviços de Bem-estar, Estética e Beleza:

9h – 13h e 14h30 – 18h

 

blank